Entendendo Desequilibrios de Ferro - Parte 2 Hemocromatose ou Excesso de Ferro Causas, Sintomas, Tratamentos e Fatos mais Importantes Sobre esta Doença

December 8, 2018

 

Desequilíbrios de ferro – Parte 2

 

Excesso de ferro ou hemocromatose
 

Como discuti no artigo anterior sobre deficiência de ferro, o ferro é um nutriente vital necessário para apoiar processos biológicos essenciais no corpo.

 

Por ser um mineral essencial, é superimportante que o corpo regule sistematicamente a homeostase ou equilíbrio do ferro, já que o excesso é potencialmente tóxico.

 

Uma vez que o corpo excreta muito pouco ferro, a absorção de ferro é controlada particularmente pelo hormônio regulador de ferro chamado hepcidina. Hepcidina bloqueia a absorção de ferro na dieta, promove o sequestro de ferro celular e reduz a biodisponibilidade do ferro. 

 

Assim, em um funcionamento normal, quando as reservas de ferro são suficientes para atender as exigências do corpo, o hormônio hepcidina reduz a absorção de ferro pelo intestino para evitar que os níveis subam demais.

 

Hemocromatose ou acumulo de ferro é um distúrbio no armazenamento de ferro ou uma desregulação da absorção intestinal de ferro consumido com a dieta ou, de outras fontes, como com o uso de suplementos multivitamínicos que contenham ferro em suas fórmulas e que o corpo não pode excretar.

 

Como acontece com tudo na natureza, equilíbrio é necessário assim, deficiência ou superexposição ao ferro tem consequências evidentes nos estados de saúde e doença.

 

O que acontece é que o ferro extra pode se acumular gradativamente nos tecidos e órgãos do corpo, afetando particularmente o fígado, o coração, o pâncreas, o cérebro, as articulações, as glândulas endócrinas, etc.

 

Além disso, se o excesso de ferro não for tratado, pode ao longo do tempo causar falência de órgãos e, eventualmente, ser fatal.

 

Estudos mostram que problemas de excesso de ferro ou excesso de armazenamento do ferro afetam cerca de 35 milhões de pessoas em todo o mundo. Este número é significativamente menor do que com problemas de deficiência de ferro, ou anemia, mas talvez seja muito pouco diagnosticado porque geralmente nem é testado por médicos convencionais.

 

O diagnostico é extremamente simples assim como o tratamento mais, no entanto um diagnostico tardio pode ser fatal.

 

Desta forma, seguem abaixo os principais fatos a serem entendidos sobre hemocromatose:

 

1 - As causas mais comuns de excesso de ferro ou hemocromatose são primárias ou secundárias:

 

1 – “Hemochromatose primária, ou clássica pode ser causada por:

 

. defeitos genéticos hereditários e mutações no gene HFE (respondem por até 80% dos casos).

. o gene HFE ajuda a regular a quantidade de ferro absorvida dos alimentos

. as duas mutações conhecidas do HFE são C282Y e H63D

. os defeitos C282Y são a causa mais comum de hemocromatose primária

. as pessoas herdam duas cópias do gene HFE (uma cópia do pai e uma da mãe) 

. a maioria das pessoas que herdam duas cópias do gene HFE com o defeito C282Y terão absorção de ferro acima da média

. nem todas essas pessoas desenvolverão problemas de saúde associados à hemocromatose

. 31 por cento destas pessoas com duas cópias do defeito C282Y desenvolveram problemas de saúde em torno de seus cinquentas anos

. Homens que desenvolvem problemas de saúde causados ​​por defeitos do HFE normalmente os desenvolvem após os 40 anos de idade (não é uma regra)

. As mulheres que desenvolvem problemas de saúde a partir de defeitos do HFE normalmente os desenvolvem após a menopausa

. as pessoas que herdam dois defeitos H63D ou um defeito C282Y e um defeito H63D podem ter absorção de ferro acima da média

. no entanto, é improvável que estas pessoas desenvolvam danos em seus órgãos pelo excesso de ferro 

. defeitos raros em outros genes também podem causar hemocromatose primária

. mutações nos genes da hemojuvelina ou hepcidina causam hemocromatose juvenil

. pessoas com hemocromatose juvenil tipicamente desenvolvem excesso grave de ferro e danos no fígado e coração entre as idades de 15 e 30 anos

 

2 – Hemochromatose secundária (quando não é herdada) pode ser causada por:

 

. transfusão de sangue frequente em pessoas com anemia grave

. anemia falciforme

. suplementação com ferro (em forma de multivitaminas com ferro em suas fórmulas ou, suplemento de ferro)

. doença hepática crônica

. infecção crônica por hepatite C

. doença hepática alcoólica

. alcoolismo

. hepatite viral

. G6PD (glucose-6-fosfato desidrogenasse)

 

2 – Assim, a população de maior risco para desenvolver excesso de ferro ou hemocromatose inclui:

 

. Caucasianos da ascendência do norte da Europa

. cerca de quatro a cinco em cada 1.000 caucasianos carregam duas cópias da mutação C282Y do gene HFE

 . cerca de um em cada 10 caucasianos carregam uma cópia de C282Y

. é extremamente raro em afro-americanos, asiáticos-americanos, hispânicos / latinos e índios americanos (as mutações HFE geralmente não são a causa da hemocromatose nessas populações)

. mulheres na menopausa. Mulheres perdem sangue que contém ferro com o período. Desta forma, mulheres com defeitos genéticos que causam hemocromatose podem não desenvolver excesso de ferro e sintomas relacionados ou complicações até que estejam na menopausa

. homens adultos (já que homens acumulam ferro desde que nascem porque não menstruam)

. aumento da ingestão de ferro heme e / ou perda de homeostase do ferro também pode aumentar o risco de doença crônica em indivíduos livres de distúrbios genéticos

 

 

3 - Os sintomas de excesso de ferro variam de leves a graves e podem incluir:

 

. dores nas articulações

. fadiga extrema ou cansaço

. perda de peso sem explicação 

. altos níveis de açúcar no sangue e diabetes

. hipotireoidismo ou baixa função tireoidiana

. dores abdominais

. perda de desejo sexual ou impotência 

. perda de cabelo

. a pele com coloração bronze

. palpitações e problemas cardíacos

. doenças neurodegenerativas 

. depressão

Nem todos com hemocromatose desenvolverão esses sintomas.

 

4 - As complicações frequentemente associadas à hemocromatose são:

 

. doenças neurodegenerativas

. câncer

. problemas hepáticos

. aumento do fígado

. diabetes

. doença cardiovascular - ritmos cardíacos irregulares ou enfraquecimento do músculo cardíaco

. pancreatite

. artrite

. disfunção erétil

 

Desta forma, como mencionei no artigo de deficiência de ferro, é realmente importante entender que o ferro em nossa dieta está presente em duas formas específicas (ferro heme e ferro não-heme). Assim, por terem formas diferentes, são absorvidos pela mucosa intestinal de maneiras completamente diferentes uma da outra.

 

O ferro heme é a forma de ferro que é facilmente absorvida pelo intestino e é a principal fonte de ferro na dieta que é encontrada principalmente em produtos de origem animal, como carne, peixes e frutos do mar e aves.

 

O ferro não-heme é a forma de ferro encontrada nas plantas e também nos produtos animais (os produtos de origem animal contêm uma combinação dos dois tipos de ferro: heme e não-heme).

 

Também, devemos considerar que, o ferro não-heme tem sua biodisponibilidade dificultada por outras substâncias habitualmente consumidas em nossas dietas, como o café, o chá, produtos lácteos, fibras suplementares e cálcio. Além disso, o consumo de grãos e sementes na dieta preparados inadequadamente também inibem a absorção do ferro não-heme. 

 

Ou seja, o ferro não-heme é o tipo de ferro que é menos absorvido pela mucosa intestinal  e é a forma de ferro encontrada em nossa dieta em sementes, grãos, leguminosas (devidamente preparadas), saladas, vegetais, frutas e também, encontrada em produtos de origem animal, ovos e laticínios.

 

5 - Então, se você está com excesso de ferro, é crucial saber que as maiores fontes de ferro heme, ou seja, de fácil absorção pelo intestino são:

 

. moluscos

. fígado de galinha

. ostras

. polvo

. fígado de boi

. mexilhão

. acém

. bisonte

. caranguejo

. peito de pato

. carneiro

. porco

 

Sabendo disto, você devera evitar em tua dieta o consumo excessivo destas fontes de ferro heme.

 

6 - Também, você precisa diminuir o consumo junto de tuas refeições de substâncias que aumentam a absorção de ferro, como: 

 

. vitamina c

. betacaroteno - damasco, beterraba, cenoura, couve, uvas vermelhas, pimentão vermelho, espinafre, tomate, etc.

. ácido clorídrico - suplementos HCL

. açúcar - frutas, mel, etc.

. álcool (com moderação com as refeições

 

Principalmente tente não consumir essas substâncias com as refeições para que não absorvam ainda mais ferro de tua comida)

 

7 - Além disso, você deve aumentar em sua dieta o consumo de substâncias que diminuem a absorção de ferro, como:

 

. alimentos com cálcio - pois o cálcio inibe a absorção de ferro heme e não heme

. ovos - contêm fosvetina, que inibe a absorção de ferro

. oxalatos - espinafre, couve, beterraba, nozes, chocolate, chá, frutas vermelhas, algumas especiarias / ervas

. polifenóis - cacau, café, chás, especiarias, nozes, algumas especiarias

. fitato - nozes, amêndoas, gergelim, feijões, lentilha e ervilha, cereais e grãos integrais

. altas doses de zinco - limite de 20 mg por dose, tomado entre as refeições

 

8 - E finalmente, para prevenir o acumulo ou excesso de ferro no corpo lembre-se do seguinte:

 

. evite suplementos de ferro a menos que seja orientado por um médico – mesmo assim, somente suplemente depois de fazer um teste de ferro completo e estar seguro que você realmente precisa usar suplementos

. peça regularmente ao seu médico um exame completo de ferro para verificar todos os teus marcadores de ferro pois o exame de ferro pode estar normal e os outros marcadores estarem alterados

. se você é um homem adulto ou uma mulher na menopausa, considere doar sangue de uma a três vezes por ano como precaução

 

9 - O tratamento para sobrecarga de ferro ou hemocromatose incluem:

 

. flebotomia terapêutica - A flebotomia terapêutica é a remoção de uma unidade de sangue, cerca de 200 a 250 mg (não é doação de sangue, pois este sangue com excesso de ferro não pode ser utilizado)

. quelação - A quelação é raramente usada na prática clínica porque as drogas têm efeitos colaterais desagradáveis

. uso de um suplemento chamado Apolactoferrin pela Life Extension - 300 mg 2 vezes ao dia entre as refeições – este é um suplemento produzido do leite materno e que possui propriedades antimicrobianas que suprimem o crescimento de bactérias patogênicas dependentes de ferro

. mudanças na dieta, reduzindo a ingestão de ferro nos alimentos – limitando o consumo de alimentos ricos em ferro, como mariscos, carnes vermelhas e órgãos

. não use panelas de ferro fundido porque interagem com a comida aumentando o nível de ferro nos alimentos

. tratando complicações (se você tiver alguma das complicações listadas acima, eu recomendo você pedir ao teu médico um exame completo de ferro para verificar se pode ser o excesso de ferro no sangue a causa do teu problema de saúde) 

 

10 - No caso de suplementação com ferro, os efeitos colaterais mais conhecidos são:

 

. irritação gastrointestinal

. náusea e vomito

. diarreia ou constipação (fezes mais escuras)

Se você realmente precisar de suplementos com ferro, sempre os tome com alimentos para evitar sintomas gastrointestinais

 

11 - Também, é importante saber que a suplementação de ferro pode interferir na absorção e na eficácia de certos medicamentos, incluindo:

 

. antibióticos

. medicamentos para tratar a osteoporose

. medicamentos para tratar hipotireoidismo

. medicamentos para tratar os sintomas da doença de Parkinson

 

Além disso, é importantíssimo saber que:  "overdose acidental de ferro ou de produtos contendo ferro é a maior causa de mortes por envenenamento em crianças menores de seis anos de idade".

 

12 - Os sintomas de toxicidade podem ocorrer com doses de ferro de 20 a 60 mg / kg de peso corporal e é uma situação de EMERGENCIA, pois a gravidade da toxicidade do ferro está relacionada à quantidade de ferro elementar absorvido. Os sintomas são: 

 

. náusea, vômito

. dores abdominais

. letargia

. pulso fraco ou rápido

. pressão sanguínea baixa

. febre

. respiração difícil

. coma

. falha no sistema de órgãos, tais como: cardiovascular, renal, hepática hematológica e sistema nervoso central

 

Pessoas com hemocromatose hereditária ou outras doenças de excesso de ferro, bem como pessoas com cirrose alcoólica e outras doenças do fígado, podem experimentar efeitos adversos na ingestão de ferro abaixo do UL (total de ferro diário consumido na alimentação que inclui comida, água e suplementos).

 

13 - Então, o total máximo de ferro que pode ser consumido diariamente ou (UL) depende da idade como segue:

 

Bebês 0-12 meses - 40 UL (mg / dia)

Crianças de 1 a 13 anos - 40 UL (mg / dia)

Adolescentes 14-18 anos - 45 UL (mg / dia)

Adultos com 19 anos ou mais - 45 UL (mg / dia)

 

Assim, se você quiser saber como o ferro está se comportando em teu corpo e em tua saúde, fale com teu médico e faca um exame completo de ferro. 

 

14 - Os marcadores de ferro que precisam ser incluídos no teu exame de sangue e que diagnosticam se você pode ter excesso de ferro são: 

 

. teste de ferro sérico - mede o nível de ferro na porção líquida do sangue 

. teste de saturação de transferrina - mede diretamente o nível de transferrina no sangue. A transferrina é uma proteína que transporta ferro ao redor do corpo

. Teste de TIBC (capacidade total de ligação de ferro) - mede a quantidade total de ferro que pode ser ligada por proteínas no sangue

. Teste UIBC (capacidade de ligação de ferro não saturado) - determina a capacidade de reserva da transferrina e, também, reflete os níveis de transferrina

. teste de ferritina sérica - reflete a quantidade de ferro armazenado no corpo

. Teste sTR (receptor de transferrina solúvel) - usado para detectar a anemia por deficiência de ferro e distingui-la da anemia causada por doença crônica ou inflamação

 

(por prevenção exija que teu médico inclua todos estes marcadores pois somente assim ele e você terão uma ideia clara da situação)

 

Além disso, lembre-se de SEMPRE REPETIR O TESTE caso os níveis de ferro venham alto, pois é necessário confirmar o excesso de ferro antes de tratar. 

 

15 - Para obter mais informações sobre esse tópico, você pode clicar nos links disponíveis neste artigo, ler meu artigo antetior sobre deficiencia de ferro, ou procurar organizações que apoiam este problema de saúde, como:

 

Centers for Disease Control and Prevention 

 

American Hemochromatosis Society, Inc.

E-mail: mail@americanhs.org

Website: http://www.americanhs.org

 

Espero que este artigo tenha sido útil para você e, por favor, deixe teu comentário abaixo. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Do you Have a Chronic Illness and Want an Alternative Health Plan to Change your Health for the Better?

February 2, 2018

1/1
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 Elianni Gaio

Tel : +1 (786) 797-0809